Vaqueiro é assassinado, mulher é esfaqueada e assassinos raptam filhos das vítimas

452

Prado – Um bárbaro crime foi registrado na tarde de terça-feira (29/7), na comunidade do Oiteiro, zona rural do município do Prado, quando um homem foi morto, sua mulher esfaqueada e seus dois filhos raptados. Alexandro Neves de Souza, vaqueiro na Fazenda Ribeirão, foi morto a tiros. Sua esposa, Erineuza Costa Chaves, atingida por um disparo de arma de fogo, na altura do rosto, e golpeada várias vezes com uma faca.

A vítima do brutal assassinato, Alexandro Neves de Souza, era vaqueiro da Fazenda Ribeirão, de propriedade de “Célio do Leite”.
A vítima do brutal assassinato, Alexandro Neves de Souza, era vaqueiro da Fazenda Ribeirão, de propriedade de “Célio do Leite”.

Segundo o “Primeiro Jornal” (site de notícias online de Prado) apurou, o acusado do crime, Jucélio Lima, conhecido como “Célio do Leite”, teria tentado degolar a mulher e tirar a cabeça fora do corpo, conforme a própria vítima contou à polícia. “Ele tentou cortar meu pescoço, mas, a faca estava cega”, declarou.

A mulher, o corpo do marido e seus dois filhos (de dois e três anos) foram colocados no carro do acusado (uma picape Fiat/Strada, de cor branca), cobertos por um colchão e conduzidos para outro local para serem desovados na tentativa de dificultar as investigações.

No caminho, mesmo ferida, pois havia se fingido de morta, a mulher conseguiu pular do veículo, ainda em movimento, e se esconder dentro de um matagal. Depois, pediu socorro a pessoas que passavam na estrada. Ela foi socorrida e encaminhada para o Hospital São Bernardo, em Alcobaça, posteriormente transferida da unidade hospitalar como medida de segurança. O corpo do marido foi localizado horas depois.

A esposa de Alexandro, Erineuza, foi esfaqueada, mas, está fora de perigo.
A esposa de Alexandro, Erineuza, foi esfaqueada, mas, está fora de perigo.

Bebês de vaqueiro morto e mulher esfaqueada são abandonados em Teixeira

Teixeira de Freitas – Na tarde de quarta-feira (30/7) um casal de desconhecidos foi até o rol do Orfanato Renascer, em Teixeira de Freitas, deixou as duas crianças e rapidamente fugiu sem deixar pistas.

Pouco tempo depois, o Conselho Tutelar de Teixeira de Freitas foi acionado e os conselheiros tutelares recolheram os bebês e deram abrigo e alimentação.

Informações dão conta que o Conselho Tutelar de Alcobaça, onde aconteceu o crime, já pegou as duas crianças, que receberam apoio, estão bem, não têm nenhum machucado e estão na companhia da mãe.

Caçada aos criminosos

A polícia procura por “Célio do Leite”, que é considerado foragido e teve a sua prisão decretada. A caçada ao criminoso começou na manhã de quarta-feira (30/7), por policiais militares do Pelotão de Alcobaça, que realizaram buscas na região para localizar e prender o homicida.

“Célio do Leite”, segundo a sobrevivente, teria perpetrado a morte de seu marido e tentado matá-la a tiro e golpes de faca; ele está foragido.
“Célio do Leite”, segundo a sobrevivente, teria perpetrado a morte de seu marido e tentado matá-la a tiro e golpes de faca; ele está foragido.

Ainda na quarta-feira chegou a correr um boato de que o acusado estaria escondido em um matagal situado na divisa entre os municípios de Alcobaça e Prado, tendo a polícia cercado a área, mas, sem sucesso. Depois, uma nova versão veio à tona, dando conta que o acusado se refugiou na cidade de Teixeira de Freitas.

Motivação

O crime teria ocorrido após uma discussão sobre direitos trabalhistas por tempo de serviço, que o vaqueiro cobrava pelas atividades exercidas na fazenda do acusado.

Decidido por não pagar os tempos de serviços do vaqueiro, “Célio do Leite” teria seguido até a cidade do Prado, ameaçando voltar para matar Alexandro Neves de Souza. A promessa foi cumprida horas depois, quando retornou acompanhado de mais quatro homens, em posse de armas de fogo.

Em depoimento à imprensa, Erineuza confirmou a versão que fingiu de morta para que “Célio do Leite” parasse de lhe golpear.

Delegada diz que cinco pessoas estão envolvidas em barbárie  

Ao contrário do que foi informado anteriormente, não são três pessoas apenas que estariam envolvidas no assassinato do vaqueiro Alexandro Neves de Souza e na tentativa de homicídio contra a sua esposa Erineuza Costa Chaves.

Segundo entrevista da delegada Rosângela Santos, titular do Prado e substituta de Alcobaça, ao todo seriam cinco pessoas envolvidas nos homicídios, sendo um tentado e outro consumado. “Cinco pessoas são apontadas como suspeitas de praticar o ato, inclusive o dono da fazenda onde ocorreu o crime”, disse.

Apesar de a delegada Rosângela Santos ter afirmado o envolvimento de cinco pessoas na barbárie, ela não informou os nomes.

“O suspeito ainda não apareceu aqui [delegacia] para esclarecer as acusações. Outras quatro pessoas estão envolvidas no crime e elas serão indiciadas por duplo homicídio, sequestro e formação de quadrilha”, assegurou.

Outra novidade relatada pela delegada Rosângela Santos é que o vaqueiro Alexandro, antes de ser morto a tiros, fora esfaqueado pelo assassino. Essa versão fica evidente nas fotografias divulgadas pela imprensa da região, onde no corpo, além da concentração de sangue na região do pescoço, local do disparo, são notados cortes de arma branca. Compilações dos sites de notícias da região.