Projeto tenta substituir seu roteador por um tablet com Android

197

Você pode ter intimidade com seu roteador, mas nem todos navegam pelas configurações do aparelho com tanta naturalidade. Para alguns, a tarefa é complexa. Por isso, Alex e Brandon Jones, dois irmãos americanos, pensaram em uma solução mais simpática e criaram o Soap Tablet, que aplica o conceito de tablet ao roteador, incluindo uma tela de toque, que permite simplicidade até para quem não está familiarizado.
Os dois recorrem ao IndieGogo, site de financiamento coletivo, para arrecadar o dinheiro necessário para bancar o projeto. São necessários US$ 42,5 mil, que devem ser levantados até 10 de julho. Em um dia, já foram investidos mais de US$ 4 mil.
O projeto de roteador é compatível com o padrão 802.11ac de Wi-Fi, mais recente e veloz. Por cima, uma tela de 7 polegadas rodando uma versão adaptada do Android permitiria acesso rápido às configurações. O Soap pode ser usado para controle parental, impedindo crianças de acessar conteúdo impróprio, ou gastar dinheiro sem autorização, por exemplo.
Mais do que apenas um roteador, seus criadores imaginam um futuro em que o Soap poderia ser usado como central de automação doméstica, para controlar uma casa conectada. O dispositivo poderia comandar a cozinha, iluminação, sistemas de segurança e basicamente qualquer sistema que tente automatizar funções do lar.
Os criadores planejam oferecer um tablet por cerca de US$ 200 para realizar essas funções, mas a página no IndieGogo mostra que há vários modelos, variando entre processadores single-core, dual-core e quad-core, 1 GB e 2 GB de memória RAM, tela de 7 ou 8,4 polegadas (esse último já vem com 128 GB em SSD) e armazenamento interno variando entre 8 GB e 32 GB.
Vale ressaltar que o roteador/tablet já deu as caras em uma campanha de financiamento coletivo no Kickstarter, que acabou não vingando. Na verdade, o motivo foram críticas excessivas que chegavam a acusar que se tratava de um golpe para roubar o dinheiro dos investidores. O motivo da desconfiança era a falta de detalhes sobre os métodos de implementação.