Lídice da Mata sugere que o Brasil siga os exemplos da Colômbia na área social

224

As transformações sociais verificadas nos últimos anos em Medellín, cidade de 2,7 milhões de habitantes, localizada no noroeste da Colômbia, apontam um caminho que também pode ser seguido pelo Brasil, segundo a senadora Lídice da Mata (PSB-BA). Juntamente com o senador Inácio Arruda (PCdoB-CE), a parlamentar participou na Colômbia do 7º Fórum Urbano Mundial, organizado pelo Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-Habitat).

A parlamentar participou na Colômbia do 7º Fórum Urbano Mundial, organizado pelo Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos. Foto: José Cruz/Agência Senado
A parlamentar participou na Colômbia do 7º Fórum Urbano Mundial, organizado pelo Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos. Foto: José Cruz/Agência Senado

“Constatamos o quanto o investimento em educação tem repercutido na inclusão social e na segurança pública. Isso só fez aumentar minha convicção de que o remédio estrutural de curto, médio e longo prazo contra a desigualdade social se dá por meio da educação”, apontou a senadora.

Uma iniciativa bem-sucedida da administração de Medellín, segundo Lídice da Mata, é a utilização das bibliotecas públicas como instrumento de inclusão social e combate à violência: cinco bibliotecas-parque foram construídas em comunidades diversas e integram uma rede de 30 bibliotecas públicas que formam verdadeiros centros culturais com oficinas profissionais e de artes.

No setor da segurança, chamou atenção da senadora a Polícia de ciclo completo, ao contrário do Brasil, onde a Polícia Militar é encarregada da vigilância das ruas e a Polícia Civil, das investigações. Na Colômbia, os patrulheiros trabalham em média dois anos na mesma localidade e se apresentam de casa em casa, fornecendo seus nomes e telefones para a comunidade. Esse modelo propiciou redução de 19% na taxa nacional de homicídios. Em Medellín, a mesma taxa caiu 40%.

O sistema de transporte da cidade colombiana é igualmente motivo de avaliação positiva por parte de organismos internacionais. Ele se baseia no conceito de intermodalidade, com articulação dos sistemas BRT (similar, no Brasil, ao de Curitiba), com o metrô de seis composições e ônibus pequenos que alimentam todo o sistema.

“Além disso, em Medellín, eles ampliaram os serviços de transporte para as áreas de difícil acesso com bondes que conseguem transportar até 30 mil passageiros diariamente”, relatou a senadora.

Brasil

Lídice da Mata considera que uma das iniciativas do que chamou de “revolução educacional” no Brasil seria a escola de tempo integral, com administração profissional, coordenação pedagógica, ações de assistência à saúde, programas de cultura, artes e esportes.

A senadora está convencida de que a alfabetização de qualidade na idade certa reduz a desigualdade social e a desvantagem que crianças de famílias de baixa renda têm em relação às crianças das classes média e alta, que começam a se alfabetizar até com quatro ou cinco anos de idade.

Exemplo

O 7º Fórum Urbano Mundial foi realizado de 5 a 11 de abril, na cidade de Medellín, na Colômbia, escolhida por ser considerada um exemplo internacional em transformações urbanas, por meio de práticas de “urbanismo social”. A cidade conseguiu atender suas comunidades mais vulneráveis, com soluções para mobilidade acessível, um governo mais inclusivo e educação de qualidade, além de recuperar espaços públicos e áreas verdes.

O evento é a principal conferência global sobre questões urbanas. Este ano, o tema escolhido foi “Patrimônio Urbano em Desenvolvimento – Cidades para a Vida”. Mais de 25 mil participantes de 164 países debaterem a situação atual das cidades e formas de liderança com vistas à disseminação do desenvolvimento urbano sustentável e equitativo, e ao cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM).

Estiveram presentes representantes de governos e do setor privado, parlamentares, organizações da sociedade civil, universidades, agências das Nações Unidas e outras organizações internacionais. Foram convidados 140 especialistas internacionais, de mais de 100 instituições, que participaram de cerca de 500 eventos durante o fórum, voltados à apresentação de soluções para os desafios que as cidades enfrentam. Por Agência Senado