Igreja Universal sinaliza romper com Bolsonaro por causa de crise em Angola

103

Foram emitidos alertas de um possível desembarque a partir de pessoas próximas ao bispo Edir Macedo, fundador da igreja, e de congressistas do Republicanos, partido ligado à instituição evangélica

Edir Macedo
Edir Macedo (Foto: Divulgação/Igreja Universal)

247 – O governo de Jair Bolsonaro vê crescer a ameaça de perder o apoio da Igreja Universal do Reino de Deus. Foram emitidos alertas de um possível desembarque a partir de pessoas próximas ao empresário evangélico Edir Macedo, fundador da igreja, e de congressistas do Republicanos, partido ligado à instituição evangélica. A reportagem é do portal Poder 360.

Nesta sexta-feira feira (14), o também empresário evangélico Renato Cardoso, responsável pela Igreja Universal no Brasil e genro de Edir Macedo, criticou diretamente o governo Bolsonaro em entrevista ao Jornal da Record, emissora de Macedo. Segundo a reportagem, Cardoso falou em “decepção” e apontou “omissão” por parte do governo no caso envolvendo conflitos sobre a permanência de pastores da Igreja Universal em Angola.

O pivô do desgaste entre evangélicos da IURD e o governo foi a alegada inação das autoridades brasileiras à ordem de deportação de 34 brasileiros do país africano. A medida foi imposta depois que a instituição religiosa disse ter identificado comportamento impróprio de angolanos e afastado essas pessoas do comando da Igreja Universal do Reino de Deus naquele país africano.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here