Gera realiza com sucesso 3º Encontro de Aeromodelismo em Teixeira

292

Teixeira de Freitas – Com o apoio de vários empreendedores teixeirenses, o empresário do ramo de uniformes e artigos militares Geraldo Pereira da Costa alcançou mais uma vez o êxito ao realizar no Polo Industrial da cidade o 3º Encontro de Aeromodelismo de Teixeira de Freitas. Evento que teve a presença de diversos pilotos de Montanha, Pinheiro, São Mateus e Vitória/ES; Itabela, Eunápolis e Itabuna/BA; Nanuque e Governador Valadares/MG, que desfilaram suas aeronaves, numa mostra de várias modalidades, a exemplo de manobras em pouso, parafuso, altura, “tork roll”, “hover” e “rolling harriers”.
Para o empresário e amante do esporte, mais conhecido como “Gera”, a manutenção da prática de aeromodelismo tem sido uma luta diária, sobretudo para realizar eventos de porte como esse, onde os obstáculos do dia a dia se acumulam.
“Sei das dificuldades de realizar um evento como esse, em especial na formação de uma equipe que demande todas as necessidades pertinentes ao evento, como a proteção aos visitantes, toldos para a cobertura, pois os encontros são sempre feitos afastados do centro da cidade a fim de evitar acidentes com as aeronaves, nos pousos e decolagem, enfim, um apoio logístico, pois os custos são altos”, ponderou o empresário, que completou ser impossível deixar de agradecer ao eterno parceiro Fábio da Super Moda.
Em uma conversa extraoficial durante a realização do evento, “Gera” chegou a ameaçar que seria o último, mas, em razão do sucesso, me confidenciou depois que o esporte é brilhante, dá trabalho, mas é uma terapia para a alma.
Aeromodelismo no mundo

Clique nos pilotos visitantes com o organizador do evento, “Gera”, durante o 3º Encontro de Aeromodelismo no Polo Industrial em Teixeira de Freitas.
Clique nos pilotos visitantes com o organizador do evento, “Gera”, durante o 3º Encontro de Aeromodelismo no Polo Industrial em Teixeira de Freitas.

Segundo um texto de Ozair Júnior: não é de hoje que o homem sonha em voar. Do lendário Ícaro, passando por Santos Dumont, até a chegada na lua, a humanidade sempre criou novas formas de desafiar as leis da física. O aeromodelismo, criado no final do século XIV, na França, vem se tornando uma verdadeira febre, que atrai e fascina principalmente os adultos. Usado como distração ou esporte competitivo, não há quem esconda a satisfação de poder pilotar uma máquina, mesmo que pequena, nas alturas.
De simples planadores a réplicas idênticas a grandes aeronaves, feitos de isopor, madeira a fibras, com motores a combustão ou elétricos, são inúmeros os modelos que podem ser montados ao gosto do esportista, ou comprados já prontos para voar. A novidade do momento são os aeromodelos com motores elétricos, movidos a uma bateria de lítio, com autonomia para cerca de 20 minutos de voo. Isso para os mais simples, pois a potência do motor varia de acordo com o tamanho e peso do avião.
Um exemplar para iniciante custa com pouco mais de R$ 600, pode-se brincar com um modelo elétrico em qualquer lugar, sem a necessidade de uma pista apropriada, curso de pilotagem e autorização da Confederação Brasileira de Aeromodelismo (COBRA), que garante um seguro para acidentes contra terceiros. Esses são quesitos obrigatórios para as máquinas a combustão. “Um aeromodelo a combustão pesa no mínimo 3,5 quilos, enquanto que o elétrico tem a partir de 100 gramas. Não há risco de atingir, machucar alguém, já que ele é leve. Se der um problema ele vai planar até cair. Além disso, pode ser usado em parques, sítios ou qualquer lugar aberto”, palavras de um especialista. Por Antônio Carlos Santos Nunes/Jornal Alerta.