Fuzil ou fusível?

703

Fuzil ou fusível?
Vamos analisar uma dúvida muito comum: quando usar a palavra FUZIL e quando usar a palavra FUSÍVEL.
Por exemplo, quando acaba a luz, você diz que queimou o fuzil ou que queimou o fusível?
O correto, nesse caso, é dizer que queimou o FUSÍVEL. Lembre-se de que FUSÍVEL é aquele dispositivo que protege o sistema elétrico, cortando a corrente quando a intensidade dela fica excessiva. Assim, quando acaba a luz, não se esqueça de trocar o FUSÍVEL.
O FUZIL é uma arma de fogo, um tipo de espingarda.
Podemos comemorar o dia sete de setembro com tiros de FUZIL.
É correto dizer:
“O traficante foi preso com um FUZIL do exército.”
E não esqueça outra diferença entre FUZIL e FUSÍVEL:
FUZIL se escreve com Z e FUSÍVEL, com S.
Você tem planos para o futuro?
Você já percebeu que, às vezes, para intensificar aquilo que falamos, usamos algumas expressões, sem prestar muita atenção no que elas significam e acabamos dizendo o óbvio, repetindo desnecessariamente a informação?
Isso acontece com frequência, inclusive com você. Não acredita? Então confira duas redundâncias que repetimos na nossa fala descuidada do dia a dia, sem nos darmos conta.
Aposto, por exemplo, que você já deve ter feito “planos para o futuro”, sem se dar conta de que é impossível fazer planos para o passado. Na verdade, “fazer planos” ou “planejar” já é uma atividade direcionada para o futuro. Assim, no próximo réveillon, evite a redundância e diga apenas que tem muitos planos.
Outra dica é não “adiar suas resoluções para depois”. O que é óbvio, se considerarmos que o verbo ADIAR significa transferir algo para o futuro. Assim, sendo impossível adiar para ANTES, a palavra DEPOIS é desnecessária.
O prêmio foi oferecido a ela ou à ela?
Crase é um assunto que atormenta muita gente. Vamos voltar a esse tema e falar de um uso específico da crase que é fonte frequente de dúvida: Será que tem crase antes de pronome pessoal?
Por exemplo, observe a frase:
“O prêmio foi oferecido A ela.”
Existe crase antes do pronome ELA?
Cuidado! Antes de pronomes pessoais, como: eu, tu, ele, nós, eles, mim… não ocorre crase, pois não são antecedidos de artigos.
Escreva, portanto, sem o acento indicativo da crase, pois se trata apenas de uma preposição:
“O prêmio foi oferecido A ELA.”
“Deu flores A MIM.”
Também não ocorre crase antes de pronomes de tratamento, como: você, Vossa Senhoria (V.Sa), Vossa Excelência (V. Exa)…
Então, também escreva sem o acento grave:
“Entreguei tudo a você.”
“Ele não disse nada a Sua Excelência.”
Fique atento, porém, aos pronomes de tratamento que só podem ser usados em relação às mulheres, como senhora, senhorita, madame…
Esses pronomes são antecedidos de artigos e, nesses casos, pode ocorrer crase:
“Entregou os presentes à senhora.”
“Referiu-se à Madame Sabrina.”
G ou J?
Vamos observar a duplinha G e J. Essas duas letras nos dão muito trabalho na hora de escrever quando o G representa o mesmo som do J. E isso acontece toda vez em que o G está diante das vogais E e I.
Por exemplo, você escreve a palavra LOJINHA com G ou com J?
Se você ficar em dúvida e não tiver um dicionário por perto para consultar, faça o seguinte: verifique como se escrevem as outras palavras da mesma família.
Assim, você vai chegar à conclusão de que LOJINHA se escreve com J porque ela deriva da palavra LOJA que é escrita com J.
Do mesmo jeito, devemos escrever com “j” NOJENTO e NOJEIRA porque derivam da palavra NOJO que se escreve com “j”.
Já as palavras MASSAGISTA e MASSAGEAR devem ser escritas com G, pois vêm da família da palavra MASSAGEM, que é escrita com G.
Isso não resolve todas as dúvidas, mas ajuda um pouco, não é mesmo?