Emancipação emocional feminina

260

Parte II – Em consequência do pouco crescimento dos ossos, o rosto permanece pequeno, o nariz curto, o maxilar estreito e a fronte baixa (tipo infantil).
O desenvolvimento da musculatura é fraco, enquanto que o panículo adiposo (revestimento de gordura) é mais abundante e proporcional que no homem e dá à mulher sexualmente madura aquela conformação curvilínea.
A laringe cresce menos e assim a voz conserva timbre e altura infantis. Os cabelos cranianos são abundantes, longos e fortes, enquanto que no resto do corpo persiste o revestimento piloso infantil tipo “penugem de pêssego”.
Os pelos pubianos, ao contrário dos homens, são nitidamente limitados por uma linha horizontal e abaixo deles, a gordura forma um coxim denominado monte de Vênus.
As glândulas da pele têm grande desenvolvimento, de sorte que do corpo emana um odor forte que nos tempos primitivos constituía um engodo atrativo para os machos (feromônios).
As glândulas dos peitos crescem e formam dois amontoados que têm como função o fornecimento de leite para a criança recém-nascida: são as mamas, que estão ausentes no homem.
Como em sua estrutura física, a mulher fica mais próxima da criança também no caráter e na atitude psíquica. Se ela está mais aparentada à criança é para melhor servir-lhe de mãe. Essa maior proximidade faculta-lhe compreendê-la melhor.
Assim, a natureza dotou a mulher com características infantis que, como a criança, é mais feita para receber que para produzir, é mais aquecida pelas emoções que iluminada pela razão e nela os instintos estão mais vivos que a consciência.
Por isso, tem maior inclinação para sofrer que a magoar, a servir em lugar de dominar e nesse papel biológico, fica entre o homem e a criança, para servir de mãe a esta e de esposa àquele, constituindo o centro de tão diversos membros de uma família.
O sentido dos caracteres sexuais secundários tem significados variados. Graças a eles, reconhece-se, mesmo à distância e apesar das vestimentas, o sexo do indivíduo.
Pelo exterior – independente do sexo – demonstra se a pessoa está apta à fecundação, imatura ou senil, também servindo como detalhes atrativos, excitando a imaginação um do outro.
Como a natureza dotou a mulher com um comportamento menos agressivo, ela foi presenteada de outros caracteres notórios e atraentes – desde que comedidos: o volume de dois seios à vista em lugar saliente do corpo, lábios vermelhos e úmidos, jogo vivo dos olhos, voz melódica e clara, um temperamento loquaz e risonho que facilmente entra em ação e um perfume corporal que atrai o homem. Continua.
*Carlos Magno Perin é PhD em Terapia Cognitiva Comportamental e Inteligência Emocional.