Deixa o homem trabalhar

48
Compartilhar

O atual prefeito, Temóteo Brito, antes mesmo da cerimônia de posse ao cargo, já deu início às atividades de limpeza do município – mesma atitude que teve em seus mandatos anteriores.
Em meio a muitos elogios, ele prossegue dando prioridade a uma de suas promessas de campanha: dar uma cara nova à cidade. A frente dos trabalhos está o competente Rogério Mororó, que tem cuidado com afinco de sua incumbência. De Norte a Sul, Leste a Oeste, vê-se equipes de limpeza atuando, máquina de varrer sendo usada, entulhos recolhidos de terrenos públicos e particulares – é bom salientar que em gestões passadas não se limpava áreas privadas –, dando, realmente, uma nova cara a Teixeira de Freitas.
Os comerciantes e a população em geral comemora a ação, no entanto, nas redes sociais, é possível ver que mesmo satisfeita, boa parte dos teixeirenses querem mais. São menos de 30 dias da nova gestão e o eleitor não perdoa. Cobra deliberadamente mais que limpeza e pintura de meio-fio. Uma das áreas em que mais se vê reclamações é no setor de saúde. Recentemente, um post numa das páginas mais acessadas do Facebook rendeu centenas de curtidas, compartilhamentos e comentários. Ele dizia respeito à demora de atendimento na UPA 24horas. Relatos e fotos de pessoas recostadas pelos cantos, no chão, padecendo de algum problema de saúde davam conta de que haviam chegado às 6h da manhã e obtido atendimento somente às 18h, ou, às 15h, e sido atendido às 22h. Na opinião de quem reclama, transformaram a UPA no Regional do passado, e o lugar vive lotado e com um atendimento, por vezes, a desejar. Ainda conforme os comentários, os funcionários da Unidade seguem, ainda, enfrentando os mesmos problemas do final da administração Bosco: falta de pagamento.
Não temos nada oficial. Apenas trazemos à pauta o que dizem nas redes sociais – dada a importância delas, não deve ser ignorado. Quanto à UPA, independente de qualquer coisa, cabe destacar que são 2 médicos para atender urgência e emergência. Eles se revezam entre o atendimento no consultório e os que chegam trazidos pelo Samu, por exemplo, vítimas mais graves e que necessitam ser estabilizadas de imediato, avaliadas, para, então, irem ao Hospital Municipal, ou não. Outro ponto que gera atraso é o fato de que os raios-X não são impressos, por isso, o médico precisa se deslocar até a sala em que são tirados a fim de visualizar em tela as imagens, depois, chamar novamente este paciente e dar-lhe o veredicto. Desta forma, é bem difícil se ter, lá, um pronto atendimento.
Sites da cidade também divulgaram uma paralização no Bloco Cirúrgico do Hospital Municipal. Os funcionários alegavam atraso salarial. O fato foi na semana passada e, possivelmente, já foi resolvido pela Secretaria de Saúde.
Fato é que é cedo ainda para tecermos críticas e, também, se derreter em elogios. Tempo ao tempo… “Deixa o homem trabalhar!”. Ele, primeiro, está arrumando a casa, para, então, poder trabalhar à vontade. Quem não gosta de seu local de trabalho limpo?

Compartilhar

Faça um comentário!