Bastidores (04 de setembro/2013)

317

Isso me soa como piada I

O anúncio de um corte de 6 milhões em todos os setores e contratos do município. Fato é que o menor dos incautos já saberia que daria nisso a gastança com contratos e mais contratos multimilionários. Isso é coisa de calouros.

Isso me soa como piada II

Segundo a nota distribuída na manhã de terça-feira aos veículos de imprensa, “o anúncio público pontuou o que já era percebido pelos secretários, diretores e coordenadores do município, que, há algum tempo, recebem recomendações de economia” e, de acordo com informações do gabinete e da Secretaria de Administração, serão cortados, no mínimo, R$ 6 milhões ao ano, mas a meta é ultrapassar R$ 1 milhão ao mês com a economia. Era para ter dó, mas não, não tenho, mas tenho uma sugestão…

Isso me soa como piada III

Para enxugar custos. A Secretaria de Administração já teria pedido renegociação de todos os contratos firmados pela Prefeitura, até mesmo as gastos com água e energia estão sendo reavaliados. O objetivo é alinhar despesa e receita e ainda reservar verba para investimentos no município.

Mas, espera aí!

“Segundo fontes da Secretaria de Administração, até o momento, o orçamento da Prefeitura é suficiente apenas para o pagamento da folha e a manutenção básica, o que forçou o governo a provocar a redução de gastos”. Segundo fontes? Então, não existe uma planilha? Oh! Deus, salve-nos.

Não sou vidente, mas

Já havia dito e, se não me falhe a memória, comentado aqui na Coluna o comprometimento da receita própria do município de Teixeira de Freitas em número cada vez maior de contratos, além de deixar claro que os supostos 200 milhões que virão do Governo Federal é uma ilusão para esse ano.

Sabedor disso, o prefeito João Bosco

Anuncia no comunicado que “entre os investimentos prioritários da administração estão: a reforma do Hospital Municipal, o calçamento de ruas e pavimentação, a reforma de escolas, a cobertura de quadras poliesportivas, a reforma e construções de praças, a estruturação da Maternidade Municipal e outras ações, prioritariamente, ligadas à obras/infraestrutura”.

Mesmo assim:

“Ainda de acordo com a Prefeitura, estes investimentos não excluem as verbas já encaminhadas junto ao Governo Federal, mas sim configuram complementos a elas e ainda maior celeridade nos casos mais urgentes”.

A corda sempre quebra do…

Lado mais fraco, pois para atingir a meta, a corte ‘bosquiana’ estaria tomando medidas austeras, ao unificar as Secretarias de Serviços Extraordinários e de Infraestrutura. Elas serão as primeiras que passarão a trabalhar integradas. Coitado do secretário da pasta de Serviços Extraordinários, que estava com vontade de trabalhar, deu sangue na campanha e, agora, deve ser rebaixado a diretor.

Em tempo:

Mas, tenho uma sugestão… Não existe um contrato milionário de aluguel de veículos para as secretarias na ordem de mais de 1 milhão e duzentos e cinquenta mil? Então, por que não retorna aos contratos antigos que não passavam de 220 mil reais? Só aqui sobrará mais de 1 milhão. Mas pago pra ver.

Ah, tem mais

O aluguel do prédio da Unimed, que a prefeitura abandonou a sede há mais de 60 dias, já custou aos cofres públicos mais de 200 mil reais, sem falar que lá não existe acessibilidade aos portadores de deficiências que queiram ir à Prefeitura. É preciso pensar, raciocinar!!!

Vergonheira!

O deputado Natan Donadon está no lugar errado. No momento encontra-se preso, condenado até a última instância da Justiça brasileira, por formação de quadrilha. É culpado, garante o STF. É corrupto, assegura o Supremo Tribunal Federal. Pois os deputados federais, seus pares, acham que isso é normal, e que ele deve continuar no Congresso. A maioria dos deputados acaba de considerar normal a corrupção e a formação de quadrilha. E ainda há quem vote em deputados como esses. Ou Donadon está no lugar errado (na penitenciária, em vez de no plenário), ou a maioria dos deputados é que se encontra onde não deveria estar. Fonte: Tribuna da Bahia online.