Bastidores (03 de dezembro/2014)

231

A bancada da bala I

Segundo matéria veiculada no site do Congresso em Foco e aqui veiculada na página 07 desta edição, a chamada bancada da bala aproveitou o período eleitoral para avançar o projeto de revogação do Estatuto do Desarmamento na surdina. “Nesse sentido, desistiu de realizar seis audiências públicas país afora e optou por realizar apenas uma audiência, em 26 de novembro. Mais do que isso, o objetivo da comissão é votar o projeto de forma açodada, sem realizar uma discussão aprofundada com a sociedade civil, no dia 10 de dezembro”, afirma a ONG Instituto Sou da Paz.

 

A bancada da bala II

O projeto de lei (PL 3722/12), que foi debatido em audiência pública na Câmara na quarta-feira (26/11), enfrentou resistência do governo, que prefere manter as diretrizes da atual legislação. Entre os pontos polêmicos da proposta está o número de armas que cada cidadão poderá adquirir e legalizar: até nove. O texto também aumenta o número de munição para portadores de armamento: de 50 balas por ano para 50 balas por mês.

 

PL 3722 é “o mais ousado”

Entre os projetos defendidos pela bancada da bala, porque revoga a lei vigente e inverte papéis. “É quase que um atestado de falência do Estado como instituição que deve zelar pela segurança pública. É como se dissesse: ‘Como não conseguimos resolver a situação, vamos armar o cidadão para cada um se defender. Assume a guerra de todos contra todos’”, acrescenta o cientista político e professor de Relações Internacionais Marcelo Fragano Baird, coordenador de projeto do Instituto Sou da Paz, para quem, em suma, o projeto instaura a cultura do porte de arma no Brasil.

 

IF Baiano abre seleção para professor

Até 15 de dezembro, o Instituto Federal Baiano (IF Baiano) está com inscrições abertas e gratuitas para seleção de professor bolsista externo do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec). São 76 vagas para os cursos de agricultor familiar, operador de computador, auxiliar de padeiro e confeiteiro, montador e reparador de computadores, operador de máquinas e implementos agrícolas, agricultor orgânico e agente de inclusão digital. Os selecionados terão uma carga horária de trabalho máxima de 16 horas semanais. A hora-aula é R$ 50. Edital – https://www.ifbaiano.edu.br/reitoria/wp-content/uploads/2014/11/pronatec-edital.pdf.

 

Reação à escolha do ministro Levy I

Segundo matéria do Congresso em Foco, para o líder do DEM na Câmara, Mendonça Filho (PE), a confirmação de Levy contraria todo o discurso de Dilma durante a campanha eleitoral. Na propaganda política, a petista partiu para cima de Marina Silva (PSB), classificando a ex-senadora como “candidata dos banqueiros” por causa de sua relação próxima com a educadora Neca Setúbal, herdeira do grupo Itaú. Depois, no segundo turno, virou sua artilharia para Aécio Neves (PSDB), que prometera o ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga no comando da economia.

 

Reação à escolha do ministro Levy II

“É mais um capítulo da série estelionato eleitoral. A presidente Dilma contraria todo seu discurso de campanha. Dizia que não aumentaria as tarifas de energia e combustíveis e logo após o resultado das urnas, anunciou os reajustes. Também condenou seu adversário Aécio Neves que anunciou um banqueiro, o competente Armínio Fraga, como seu ministro da Fazenda, e traz um executivo do banco Bradesco para assumir a pasta. Levy será um ministro claramente ortodoxo deixando os petistas arrepiados”, afirmou.

 

Reação à escolha do ministro Levy III

Já o líder da minoria no Congresso, deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO), preferiu a ironia ao comentar sobre a indicação de Levy. “Foi-se a ‘Viúva Porcina’ da Fazenda, aquela que foi sem nunca ter sido, e veio o banqueiro”, disse, fazendo referência à personagem interpretada pela atriz Regina Duarte na novela Roque Santeiro, da TV Globo. “Falou na campanha que os banqueiros iriam tirar o alimento da mesa do trabalhador e, menos de um mês após eleita, nomeia um banqueiro”, completou.