Bancários criticam reforma da Previdência e Trabalhista em Teixeira

58
Compartilhar

Teixeira de Freitas – Dirigentes do Sindicato dos Bancários do Extremo Sul da Bahia (Sindibancários) participaram na noite de terça-feira, (25/4), dos debates sobre a reforma da Previdência Social e das Leis Trabalhistas, que acontecem até o dia 31 de maio no campus da Uneb (Universidade Estadual da Bahia), em Teixeira de Freitas.
Em sua palestra, o diretor do sindicato, João Climário Lacerda, que é também coordenador da CUT Extremo Sul, criticou as mudanças propostas pela PEC 287 e fez um alerta sobre os impactos da reforma da Previdência, caso seja aprovada pelo Congresso Nacional.
De acordo com Climário, entre os itens cruciais da proposta estão a retirada da seguridade social e o aumento da idade mínima para aposentadoria, de 65 anos, tanto para homens quanto para mulheres.
Ele condenou também a proposta de reforma trabalhista, cujo relatório foi aprovado pela Comissão Especial da Câmara e votado pelo plenário esta semana. Para o sindicalista, as mudanças nas Leis Trabalhistas e na Previdência Social irão causar prejuízos aos trabalhadores e aos demais beneficiários do INSS.
Representaram ainda o Sindicato dos Bancários na palestra os dirigentes Sormane Sulz, Gildenê Prates e Thomaz Andrade, que convocam os trabalhadores a participarem da mobilização nacional contra as reformas trabalhista e da Previdência Social, nesta sexta-feira (28).
Nesta data, além de aderir à paralisação nos bancos, os bancários irão participar de atos de mobilização contra as reformas em várias localidades do extremo sul, entre elas as cidades de Eunápolis, Itamaraju, Porto Seguro e Teixeira de Freitas, além do distrito de Pasto da Mata, município de Nova Viçosa. Por Domingos Oliveira, com informações do Sindibancários\Contraf-CUT.

Compartilhar

Faça um comentário!