Áudio: “Soube da amante no meu aniversário”, conta ex de Pazuello

36

Andrea Barbosa reforçou ter vivido “abusos” no relacionamento de 16 anos com o ex-ministro e frisou querer colocar uma pedra sobre o caso

Andrea Barbosa, ex-mulher de Eduardo Pazuello

Reprodução / Instagram
Ex-mulher e mãe de uma das filhas do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, a dentista Andrea Barbosa (foto em destaque) confirmou, nessa sexta-feira (12/11), viver um fim de relacionamento bastante conturbado com o atual secretário de Assuntos Estratégicos da Presidência da República após 16 anos de casamento.

Andrea aceitou conversar com a coluna Janela Indiscreta, do Metrópoles, sob a condição de que o material fosse publicado na íntegra, sem qualquer tipo de edição. A entrevista ocorreu depois de a ex-esposa de Pazuello confirmar a dificuldade de concluir o processo de separação e frisar que está “exaurida” com a situação vivida.

A dissolução foi decidida por ambos, segundo Andrea, no fim de agosto de 2020, quando ela descobriu a suposta infidelidade do ex-ministro com Laura Appi, então assessora do Ministério da Saúde. Após o episódio, Laura, que é médica, foi promovida ao posto de diretora de Programas da pasta, um dos cargos mais relevantes dentro da estrutura do órgão.

“Eu me separei de fato, eu não quis mais vê-lo, em agosto do ano passado, quando recebi uma hipocrisia tamanha de Brasília. No mesmo dia que recebi no dia do meu aniversário os parabéns da primeira-dama do país, Michelle Bolsonaro, eu também recebi fotos do churrasco com a assessora [Laura Appi]. Então, acho que fui vítima de hipocrisia, de abuso e de muitas coisas que as pessoas não sabem”, disse.

Ouça a entrevista:

Tratamento precoce

Antes de descobrir a suposta traição, Andrea já havia tido embates com o ex-marido, quando ele atuava como secretário-executivo do Ministério da Saúde. Um dos principais motivos, segundo ela, era pelo fato de Pazuello defender o uso de tratamento precoce para a Covid-19.

“Discordei desde o início por eu ser uma pessoa da área de saúde e de pesquisa. Dei conselhos dizendo que cloroquina não funcionava, de que a condução da pandemia não estava correta. Fui chamada de ‘mensageira do apocalipse’ e defini que, a partir de agosto, no dia do meu aniversário, eu não poderia ficar ao lado nem próximo a uma pessoa que estava tão embriagada de poder e que não conseguia enxergar nada na sua frente, muito menos família. Durante um ano e dois meses, ele foi apenas seis vezes a Manaus ver a filha que ficou comigo. Ela também sofreu de abandono afetivo. E isso tudo eu acho que ninguém sabe”, frisou.

A ex-mulher de Pazuello afirma estar em situação de vulnerabilidade e, por isso, decidiu deixar Manaus e voltar ao Rio de Janeiro, cidade de origem e onde mantém vínculos familiares.

“A situação me deixa muito constrangida, porque quando eu entro na internet sou sempre falada como mulher interesseira. Conheço Eduardo há 30 anos, eu tenho 16 de relacionamento com ele, então não foi uma vidinha que começou agora e por interesse. Nem pensão eu recebo, e isso me constrange, sabe? É constrangedor porque não estou economicamente ativa, estou fora do mercado, embora seja dentista. Sofri vários tipos de abuso patrimonial, moral, psicológico. Então, assim, as coisas complicam muito quando você é refém de uma situação”, assinalou Andrea. Por Caio Barbieri / Metrópoles

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here