Júri absolve pai no caso da morte do pequeno Pedro em Prado

32
Compartilhar

O Corpo de sentença formado por sete jurados, julgou e absolveu nesta quarta-feira, dia 17 de maio, no Fórum do Prado, Jorge Mendes Carneiro Junior, de 41 anos, acusado pela morte do próprio filho, Pedro Silva Carneiro, de apenas 9 meses de idade, que morreu na tarde de sábado do último dia 29 de outubro, após supostamente cair do banco traseiro de uma caminhonete Toyota Hilux, numa estrada vicinal que liga o Prado à Praia da Paixão, no litoral norte do município.

A mãe da criança, Erisângela Santos Silva, de 38 anos, já havia sido inocentada pela Justiça durante a instrução criminal do processo, restando apenas o julgamento de Jorge Mendes, o qual o Ministério Público (MP), sustentava a acusação pela morte. Na defesa do casal atuou o advogado criminalista Gean Prates, que sustentou a tese de acidente e não crime.

E nesta quarta-feira (17), Jorge Mendes Carneiro Junior, de 41 anos, sentou-se no banco dos réus e após um longo debate entre defesa e acusação, o corpo de jurados optou pela tese de Prates e o absolveu pela prática do crime.

O jurados não precisaram votar em sua totalidade, já que os primeiros quatro votantes, optaram pela absolvição. Com quatro votos a zero não havia mais possibilidade de condenação e o julgamento, foi finalizado. O júri começou às 9h desta quarta-feira (17) e terminou por volta das 20h, ou seja 11 horas depois.

Familiares de Jorge, bem como de Erisângela, presentes em grande número durante o julgamento, comemoraram a decisão, lida pelo juiz Leonardo Coelho. (Por Ronildo Brito)

Compartilhar

Faça um comentário!